Consciência da população é importante para que hospitais consigam manter atendimento para casos que envolvem outras demandas de saúde

                     Com a chegada das datas comemorativas de fim de ano, a população precisa ter cuidados redobrados para evitar, além da COVID-19, traumas e outras comorbidades. Com os hospitais de Curitiba e Região Metropolitana funcionando perto do limite de atendimento, um provável aumento na demanda de pacientes pode prejudicar todos que precisam de consultas e procedimentos. É o que explica o coordenador médico do Hospital Universitário Cajuru (HUC), dr. José Fernando Pereira Rodriguez.

Segundo o médico, as recomendações valem para todas as épocas do ano, com ou sem pandemia. “Os pacientes que têm doenças crônicas devem fazer seus acompanhamentos e evitar as complicações relacionadas a doenças de base pré-existentes. As populações de maior risco e exposição a outras urgências e emergências de causas externas, principalmente os traumas, como acidentes de trabalho e de trânsito, precisam redobrar seus cuidados”, afirma.

Prevenção contra o coronavirus

Rodriguez recomenda ainda que as pessoas evitem a disseminação da COVID-19, pois a sobrecarga de atendimento tem reflexo em todo o sistema de saúde, como é o caso da urgência e emergência de traumas do HUC. “O que a gente percebe é que a demanda continua. Temos grande procura com número de atendimentos alto e uma ocupação sempre alta”, comenta.

O HUC, que não possui atendimento exclusivo para COVID-19, tem absorvido a demanda de outros hospitais que abriram alas para receber pacientes em tratamento contra o coronavirus. “Ainda que o Cajuru não seja uma referência para atendimento de COVID-19, o que a gente vê é o reflexo e o encaminhamento de pacientes que têm outras necessidades, outras urgências de atendimento. Esses pacientes são naturalmente direcionados para nós”.

Cenário

O coordenador médico explica que, em uma análise sazonal, a época de fim de ano em Curitiba tem uma diminuição no atendimento de urgência e emergência no HUC, tendo em vista que muitas pessoas viajam para outras regiões para passar o período de festas. Porém, como 2020 é um ano atípico e muitas pessoas podem optar por ficar em casa, o cenário dos próximos dias ainda é incerto. Por isso, é importante a prevenção contra traumas e doenças.

“Esse é um ano totalmente diferente. A pandemia veio para mudar muitas rotinas, então nós estamos sempre atendendo urgências e emergências relacionadas a atividades cotidianas”, explica. O HUC é referência no atendimento ao trauma em geral, como os acidentes de trânsito e de trabalho. Além disso, recebe demandas encaminhadas por Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Curitiba e Região Metropolitana, por causa de comorbidades diversas. (via assessoria).

Compartilhar