A combinação de máquinas e processos digitais cresce no setor cafeeiro e resulta em benefícios tanto para o produtor quanto para o consumidor

          Cada vez mais presente em diversas áreas, as ferramentas digitais ganham destaque no setor cafeeiro agregando valor e auxiliando nos processos de decisão. Chamado de Cafeicultura 4.0, o novo modelo de produção que se apoia em um conjunto de tecnologias inteligentes será destaque na Semana Internacional do Café 2020, maior evento do setor no Brasil. “Essa evolução teve início na cafeicultura de precisão e transcendeu as fazendas, ou seja, hoje ela está disponível desde o plantio até a distribuição do produto para o cliente”, explica Péricles Alexandre Marques, coordenador de Tecnologia e Inovação do Emater-MG.

O conceito 4.0 foi criado pelo alemão Klaus Schwab e define o momento atual no qual as tecnologias digitais trabalham em sinergia com as máquinas, gerando dados importantes para tomada de decisões e otimização das atividades. Na cafeicultura, os recursos para a coleta dessas informações são diversos. Entre eles, sensores, drones e satélites. De acordo com o especialista, o cruzamento das informações armazenadas em Big Data permite, por exemplo, o melhor cuidado com a muda para que ela expresse toda sua genética com recursos adequados, diminuindo custos. “Esse cenário nos permite saber o ‘onde’, ou seja, o mapeamento de uma região e suas características. Uma máquina georreferenciada ligada em satélite, que esteja anexada a um trator, pode promover uma adubação mais eficiente evitando plantas subalimentadas ou super alimentadas, gerando ainda uma economia de 20% a 40% nesse processo”, afirma Marques.

E, se por um lado o consumidor está cada vez mais exigente querendo saber de todo o processo de produção do café, por outro, o produtor também está mais preocupado com o caminho que seu produto vai percorrer até seu cliente. Nesse cenário, as tecnologias também auxiliam nos processos de armazenamento e de distribuição, permitindo toda a rastreabilidade do produto. “As tecnologias permitem uma melhor gestão em todos os elos da cadeia produtiva de café e um trabalho diferenciado, proporcionando melhor rentabilidade e qualidade no mercado de café”, finaliza Marques.

O tema Cafeicultura 4.0 será apresentado pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa) de forma totalmente on-line no dia 18 de novembro, às 10 horas, no estande virtual do Governo de Minas.

Sobre a SIC

A Semana Internacional do Café (SIC) é uma iniciativa do Sistema FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), da Café Editora, do Sebrae e do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa).

Realizada desde 2013 em Belo Horizonte, capital do maior estado produtor do país, a SIC tem como foco o desenvolvimento do mercado brasileiro e a divulgação da qualidade dos cafés nacionais para o consumidor interno e países compradores, além de potencializar o resultado econômico e social do setor. Neste ano de 2020, devido à pandemia, será realizada 100% em plataforma digital.

Patrocinadores

A edição deste ano tem patrocínio master Nestlé, patrocínio expert Sistema Ocemg, patrocínio specialty Melitta e Sicoob e patrocínio premium Cooxupé e Kahlúa.

Serviço:

Semana Internacional do Café 2020 – 100% Digital
De 18 a 20 de novembro
#conectadospelocafé
Cadastro gratuito: www.semanainternacionaldocafe.com.br

Redes sociais
Facebook e Twitter:
 @semanadocafe
Instagram: @semanainternacionaldocafe

via assessoria

Compartilhar