Adaptando suas modalidades de negócio em meio a tempos de crise, SomaFlux oferece locação de máquinas para atender o mercado industrial durante a crise

A crise instaurada pela pandemia do COVID-19 afetou, como em vários segmentos, as indústrias. Seja pela diminuição de demanda, necessidade de adaptações sanitárias e mesmo redução da equipe, o setor industrial passa por uma necessidade de reestruturação para que um pior cenário seja evitado.

Porém, a necessidade de investimento e aprimoramento de máquinas não para por conta da pandemia. E um grande problema surge: como realizar esses investimentos (que na maioria das vezes são altíssimos) sem comprometer ainda mais toda a estrutura financeira de uma indústria?

*     *     *     *     *

Acompanhe esta e outras notícias na programação da Rádio PR 41 através do portal de notícias www.paranaimprensa.com.br

Ou acesse o site da  RÁDIO PR 41 –  https://www.radiopr41.suaradio.club/

*     *     *     *     *

Um dos equipamentos mais utilizados no setor industrial são os compressores de ar, bombas à vácuo e sopradores. Esses equipamentos são vitais para o funcionamento de indústrias em diferentes ramos, como em frigoríficos, madeireiras, automobilísticas, entre outras.

Observando esse movimento de mercado, a SomaFlux – subsidiaria do grupo Soma Sul e especialista em ar comprimido -, optou por trazer aos seus clientes a possibilidade de locação de equipamentos, além da modalidade de venda e manutenção que já era oferecida pela empresa.

José Bastos, gerente de vendas e locação da SomaFlux, explica que a  locação traz inúmeras vantagens para o empresário que precise renovar suas máquinas de ar. A primeira delas é que não há necessidade de um grande aporte financeiro para troca do maquinário, o que permite a realocação de recursos para outras áreas prioritárias.

“Com a locação garantimos ao cliente o melhor equipamento de mercado operando com a melhor performance e disponibilidade a um custo fixo. Além disso, toda a manutenção e troca de equipamentos é por conta da SomaFlux”, diz José Bastos.

José Luiz Bastos, gerente de operações – Foto: SomaFlux

 

José Bastos reforça as vantagens da locação de equipamentos

O contrato de locação pode ser de curto período, cobrindo dias, semanas ou meses, para uma eventual necessidade pontual, ou mais longo, de 1 a 5 anos, para indústrias que tenham a necessidade recorrente de um compressor de ar.

Nesses contratos mais longos, já é acordado um tempo para troca dos equipamentos e caso haja uma modificação na demanda do cliente, o ajustes também podem ser realizados. Outra grande vantagem são os retornos energéticos. Estima-se que cerca de 30% do consumo total de energia em uma indústria seja oriundo dos equipamentos de ar.

Antes de definir quais serão os equipamentos locados, a SomaFlux, por meio de seus engenheiros, cria um setup otimizado para a necessidade do cliente. Como a empresa opera com as melhores marcas do mercados e equipamentos de última geração, esse setup, aliado às manutenções preventivas, garante a potencialização do uso da energia, o que acaba gerando um payback muito mais rápido.

Empresa cria diferencial para atender demanda de mercado

Para atender à demanda de mercado, a SomaFlux criou um novo sistema de locação de equipamentos intitulado como PagueFlux: uma modalidade on demand que possibilita uma mensalidade baseada na demanda de uso do cliente.

Segundo o executivo da empresa, o PagueFlux permite duas formas de cobrança. A primeira é com um custo fixo mensal calculado com base em horas de uso por um tempo determinado, como um mês ou um ano. Por exemplo, uma indústria que opere 24 horas por dia em 7 dias nas semana (tempo integral). Após ser feito o mapeamento da demanda de ar e o setup ideal, essa indústria pagará um custo fixo mensal e terá acesso a todas as vantagens já citadas.

Para indústrias que tenham demandas por sazonalidade, como as indústrias de bebida, por exemplo, que veem sua produção aumentar abruptamente em épocas festivas (carnaval, fim de ano), existe a possibilidade de cobrança baseado no uso hora/mês. É definido uma taxação mínima e a cada mês é feita a medição de consumo do metro cúbico de ar.

“É igual uma conta de luz. Nosso cliente pode se organizar e se preparar para o quanto irá gastar baseado na sua produtividade, não havendo a necessidade de contratar uma cota sobressalente que ficara inativa em períodos de menor produtividade.”, elucida o gerente José Bastos.

A SomaFlux opera com marcas de referência, como a Gardner Denver, e possui uma equipe com vasta experiência em projetos de equipamentos de ar, como compressores, bomba à vacuo e sopradores, sendo a única empresa no mercado que opera com locação de curto e longo prazos destes equipamentos.

via assessoria

Compartilhar